Compartilhe

FAMÍLA ANOSTOMIDAE / SUB. FAMÍLIA CHARACIDAE

CARACTEERISTICAS MORFOLOGICAS: apresentam escamas grandes, corpo alongado fusiforme, boca pequena subterminal e não protrátil, dentes faringeados bem desenvolvidos e côncavos e se posicionam de cabeça pra baixo.

PIAUS

[box type=”shadow” ]Nome comum: piau-três-pintas, piava, piau, aracu-cabeça-gorda, aracu-comum.

Nome cientifico: Leporinus friderici, L. reinhardti e Schyzodon sp. (rio Paranapanema) [/box]

IMG_0278 pesca barranco
capturado no rio Suiá-Miçu – Querência (MT) – pesca de barranco – isca pedaço de queijo em 28/08/2013
IMG_0292 pesca barrancoT
capturado no rio Suiá-Miçu – Querência (MT) – pesca de barranco – isca pedaço de queijo em 28/08/2013
capturada na represa Capivara em Gardênia (SP) próximo a margem com pedaço de minhoca em 05/12/2008
capturado no rio Juruena em Nova Bandeirantes (MT) na pesca de espera com minhoca de isca em 04/11/2012
capturado no rio Verde (MT) na pesca próximo a margem com grão de milho de isca em 06/01/2012
capturado no rio Paraná em Pauliceia (SP) na pesca de espera cevada nas corredeiras com grão de milho em 29/05/2010
capturado no rio Paraná em Icaraíma (PR) na pesca de espera cevada nas corredeiras com  grão de milho em 26/07/2011
capturado no rio Paranapanema em Teodoro Sampaio (SP) próximo a margem com uso de bacon em 05/05/2011

_____________________________________________________________________________________________________

[box type=”shadow” ]Nome comum: piava

Nome Cientifico: Schyzodon borelli [/box]

IMG_0285 pesca barranco
capturado no rio Suiá-Miçu – Querência (MT) – pesca de barranco – isca pedaço de queijo em 28/08/2013
capturado no rio Cuiabá – Barão de Melgaço (MT) – pesca cevada – isca bolinha de massinha de farinha em 16/10/2012
m
capturado na represa Capivara em Gardênia (SP) em flutuante fixo cevado com pedaço de minhoca em 28/02/2011

_____________________________________________________________________________________________________

[toggle title=”Ficha Técnica” state=”open” ]

Dados biológicos: curto deslocamento reprodutivo – fecundação externa – desova total – sem cuidado parental

Hábito alimentar: onívoro com tendência carnívora (insetos) ou frugívoro ( frutos e sementes).

Tamanho: porte médio – até 35 cm e 2 kg.

Habitat: bacias Amazônica, Tocantins-Araguaia, Paraguai, Paraná, Uruguai e São Francisco.

Status de conservação: não ameaçado

Importância: na diversidade de espécie e na pesca amadora, pouco valor na comercial [/toggle]

[box type=”info” ] Dicas de pesca: a pesca de piau com varinha de bambu ou telescópica é uma das mais tradicionais nos rios brasileiros. As iscas podem variar bastaespera, seja de barranco ou embarcada – usar de espigas de milho, quirera de milho ou fubá são muito eficientes para atrair cardumes. Pescar durante o dia em margensnte, desde grãos de milho e minhocas até talos de capim, com anzóis pequenos, chumbadinha leve e linha fina. A ceva é importante na pesca de espera, seja de barranco ou embarcada – usar de espigas de milho, quirera de milho ou fubá são muito eficientes para atrair cardumes. Pescar durante o dia em margens, bocas de lagoa e pontas de praia. Apesar de serem mais famosos como iscas do que como troféus, os piaus-três-pintas podem render boas brigas. [/box]

[box type=”shadow” ]Nome comum: piau-banana

Nome Cientifico: Leporinus cf. brunneus [/box]

#
capturado n rio Juruena em Nova Bandeirantes (MT) próximo a margem com uso de minhoca em 04/11/2012

_______________________________________________________________________________________________________

IMG_0289 pesca barranco
não identificado

_____________________________________________________________________________________________________

[box type=”shadow” ]Nome comum: aracu-flamengo, piau, aracu-pinima, ferreirinha

Nome cientifico: Leporinus fasciatus, Leporinus aff. affinis [/box]

capturado no rio Paraná em Pauliceia (SP) na pesca de cevada  para piapara e de isca grão de milho  em 29/05/2010
capturado no rio Juruena en Nova Bandeirantes (MT) próximo a margem  com pedaço de minhoca em 03/11/2012

____________________________________________________________________________________________________

[toggle title=”Ficha Técnica” state=”open” ]

Dados biológicos: curto deslocamento reprodutivo – fecundação externa – desova total – sem cuidado parental

Hábito alimentar: onívoro (sementes, folhas, frutos e insetos)

Tamanho: porte médio de até 35 cm e 1,5 kg

Habitat: origem bacia Amazônica e presente também na bacia do Prata

Status de conservação: não ameaçado

Importância: na diversidade de espécie e ornamental [/toggle]

[box type=”info” ]Dicas de pesca: cevar o ponto de pesca caracterizado com corredeiras próximo a margem, anzol pequeno e chumbada de peso que varia de acordo força da corredeira [/box]

 

[box type=”shadow” ]Nome comum: piapara bicuda, piau, boga, piauzão

Nome cientifico: Leporinus elongatus, L. obtusidens [/box]

capturada no rio Paraná em Itaquirai (MS) na pesca de espera cevada com  grão de milho de isca em 22/07/2011
capturada no rio Paraná em Pauliceia (SP) na pesca cevada nas corredeiras de Jupiazinho com grão de milho em  29/05/2010
capturada no rio Paraná em Rosana (SP) na pesca de espera cevada com grão de milho de isca em 25/05/2011
capturada no rio Paraná em Itaquirai (MS) com mexilhão dourado ingerido pela piapara em 22/07/2011

____________________________________________________________________________________________________

[toggle title=”Ficha Técnica” state=”open” ]

Dados biológicos: migratória em cardume – fecundação externa – desova total – sem cuidado parental

Hábito alimentar: onívora (sementes, folhas, frutos e insetos)

Tamanho: porte grande – até 80 cm e 6 kg

Habitat: bacia do Prata e São Francisco

Status de conservação: não ameaçado

Importância: na diversidade de espécie, na pesca e na piscicultura [/toggle]

[box type=”info” ]Dicas de pesca: pescar durante o dia, em locais profundos ou próximos à margem com presença de corredeira. A forma mais eficiente para pescar a piapara é a famosa “rodadinha”. Com o barco fundeado, o pescador deixa a chumbada chegar até no fundo e, após alguns segundos, levanta-a novamente, deixando a linha descer com a corredeira enquanto destrava o molinete ou carretilha. A fisgada deve ser dada imediatamente ao menor “belisco”. Grãos de milho ou de soja e caramujos são as iscas mais comumente usadas[/box]

 

[box type=”shadow” ]Nome comum: piauçu, piavuçu, piauzão

Nome cientifico: Leporinus macrocephalus [/box]

capturada n rio Paraná em Rosana (SP) na pesca de espera cevada e de isca grão de milho em 26/05/2011
capturado na represa Capivara em Gardênia (SP) na pesca cevada e de isca grão de milho em 28/02/2012 
capturado no rio taquaralzinho afluente do São Lourenço (MT) com caranguejo próximo a margem em 22/04/2007

_______________________________________________________________________________________________________

[toggle title=”Fica Técnica” state=”open” ]

Dados biológicos: migratório reprodutivo na cheia

Hábito alimentar: onívoro (sementes, folhas, frutos e insetos)

Tamanho: porte grande de até 60cm e 5 kg

Habitat: originária de bacia do rio Paraguai

Status de conservação: não ameaçado

Importância: diversidade de espécie, na piscicultura e na pesca [/toggle]

[box type=”info” ]Dicas de pesca: durante o dia nas margens, bocas de corixos e canal de rio. As iscas podem variar de grãos de milho, minhocas, pedaços de bacon, calabreza, caramguejo, minhocas e talos de capim. anzóis pequenos, linha. Cevas e trato a base de milho e soja pra atrair os cardumes. Para os grandes o mesmo equipamento do pacu e “bolas de minhocoçu enroladas no anzol[/box]

[box type=”shadow” ]Nome comum: aracu, piau listrado de Manaus

Nome cientifico: sem identificação [/box]

fotografado no Porto de Careiro da Várzea em 24/11/2011

Dados biológicos:

Hábito alimentar:

Tamanho: porte pequeno

Habitat: bacia amazônica

Status de conservação: não ameaçado

Importância: diversidade de espécie

_____________________________________________________________________________________________________

fotografado no Porto de Careiro da Várzea em 24/11/2011

Leave a Comment