Últimas Notícias
Família Cichlidae

Família Cichlidae

Compartilhe

FAMÍLIA CICHLIDAE: Apresentam pele revestida por escamas, sedentário e dentes vestigiais.

CARACTERÍSTICAS COMUNS ENTRE OS TUCUNARÉS

Dados biológicos/reprodutivo: peixe de escamas, dentes vestigiais, sedentário – não migratório reprodutivo, migração trofica, constroem ninho reprodutivo, fecundação externa, desova parcelada durante o ano, com cuidado parental (protege prole dentro da boca). Territorialistas, predador de topo de cadeia, agressivos e vivem em cardumes ou em casais na reprodução.

Dimorfismo sexual: macho é maior, com cores mais fortes e definidas (de acordo tipo de água) e uma protuberância (reserva lipídica) na parte superior da cabeça na reprodução

Hábito alimentar: piscívoro/carnivoro

Tamanho: pode chegar até 1 metros e 13 kg

Habitat: bacias amazônica e do Tocantins-Araguaia e algumas espécies amplamente distribuídas pelo país

Status de conservação: não ameaçado

Importância: diversidade de espécie, pesca em geral e ornamental

Dicas de pesca: pescar por todo o ano, em rios, lagos e represas. Concentre sua busca em locais próximos a estruturas, como vegetação aquática flutuantes ou fixas, tronco caídos, baias, grotas, raseiros, pedrais. Use iscas artificiais de vários modelos, cores, e profundidades. Época ideal é com nível dos rios e represas mais baixos

 

TUCUNARÉS-AMARELOS

Nome comum: tucunaré-amarelo, tucunaré-pitanga, tucunaré-popoca

Nome cientifico: Cichla monoculus

capturado no rio Guaporé em Cabixi (RO)  com isca artificial em  13/10/2012

capturado no rio Guaporé em Cabixi (RO)  com isca artificial em  13/10/2012

capturado no rio Guaporé em Cabixi (RO)  com isca artificial em 10/10/2012

capturado no rio Guaporé em Cabixi (RO)  com isca artificial em 07/10/2012

capturado no rio Negro em Barcelos (AM) com isca artificial em 21/02/2013

capturado no rio Negro em Barcelos (AM) com isca artificial em 18/02/2012

capturado nos Lagos de Careiro/Castanho (AM) com isca artificial em 28/10/2008

capturado nos Lagos de Careiro/Castanho (AM) com isca artificial em 29/10/2008 

capturado nos Lagos de Careiro/Castanho (AM) com isca artificial em 18/09/2011

capturado nos Lagos de Careiro/Castanho (AM) com isca artificial em 26/09/2011

capturado no rio Tupana em Careiro (AM) com isca artificial em 26/11/2011

capturado no rio Tupana em Careiro (AM) com isca artificial em 26/11/2011

m

capturado no rio Grande – represa Volta Grande em Planura (MG) com isca artificial em 28/04/2012

capturado no rio Grande – represa Volta Grande em Planura (MG) com isca artificial em 28/04/2012

capturado no rio Paranaíba em Chaveslândia (MG) em 26/09/2012

capturado no rio Paraná em Pauliceia (SP) com isca artificial em 20/07/2010

capturado no rio Paraná em Pauliceia (SP) com isca artificial em 21/07/2010

capturado no rio Paraná em Pauliceia (SP) com isca artificial em 20/07/2010

n

capturado no rio Paraná em Pauliceia (SP) com isca artificial em 20/07/2010 

capturada na represa Capivara em Gardênia (SP) com isca artificial  em 28/08/2011

capturada na represa Capivara em Gardênia (SP) com isca artificial  em 03/01/2010

capturada na represa Capivara em Gardênia (SP) com isca artificial  em 31/03/2010

capturada na represa Capivara em Gardênia (SP) com isca artificial  em 30/12/2009

capturada na represa Capivara em Gardênia (SP) com isca artificial  em 18/09/2010

capturada na represa Capivara em Gardênia (SP) com isca artificial  em 14/05/2009

capturada na represa Capivara em Nantes (SP) com isca artificial  em 16/12/2006

capturado no rio Paraná em Campinal (SP)com isca artificial em 16/06/2006

capturada no rio Paraná em Panorama (SP) com isca artificial em 01/03/2006

capturado no rio Paraná em Campinal (SP) com isca artificial em 11/03/2005

____________________________________________________________________________________________________________________

Tamanho: porte médio de até 50 cm e 4 kg

Habitat: bacias Amazônica e do Tocantins-Araguaia e amplamente distribuído pelo país

Dicas de pesca: concentre sua busca pelos tucunarés-amarelos em locais ricos em vegetação aquática, como moitas de aguapés e concentrações de algas. Fundos de grota nas represas também são locais certos para encontrá-los. Use iscas pequenas, de até 9 centímetros; sticks e twitch-baits são excelentes para provocá-los
Nome comum: tucunaré-amarelo

Nome cientifico: Cichla cf. mirianae

capturado no rio Juruena em Nova Bandeirantes (MT) com isca artificial  em 02/11/2012

capturado no rio Juruena em Nova Bandeirantes (MT) com isca artificial em 03/11/2012

IMG_1665 tucunas isolados varos tons cores

capturado nos Lagos do rio Suiá-Micu – Querência (MT) com isca artificial de 26 a 30/08/ 2013

IMG_1662  tucuna lagos

capturado no rio Suiá-Miçu – Querência (MT) com uso de isca artificial de 26 a 30/08/2013

IMG_1056 tucunas isolados varos tons cores

capturado no rio Suiá-Miçu – Querência (MT) com uso de isca artificial de 26 a 30/08/2013

IMG_1712 tucunas isolados varos tons cores

capturado nos Lagos do rio Suiá-Micu – Querência (MT) com isca artificial de 26 a 30/08/ 2013

IMG_1063 tucunas isolados varos tons coresREC

capturado nos Lagos do rio Suiá-Micu – Querência (MT) com isca artificial de 26 a 30/08/ 2013

IMG_1729 tucunas isolados varos tons cores

capturado nos Lagos do rio Suiá-Micu – Querência (MT) com isca artificial de 26 a 30/08/ 2013

IMG_0040 tucunas isolados varos tons cores

capturado nos Lagos do rio Suiá-Micu – Querência (MT) com isca artificial de 26 a 30/08/ 2013

IMG_1605

capturado nos Lagos do rio Suiá-Micu – Querência (MT) com isca artificial de 26 a 30/08/ 2013

IMG_9370 tucunas isolados varos tons cores

capturado no rio Paranaíba afluente do rio Suiá-Miçu – Querência (MT) com uso de isca artificial de 26 a 30/08/2013

IMG_8800 tucunas isolados varos tons cores

capturado no rio Paranaíba afluente do rio Suiá-Miçu – Querência (MT) com uso de isca artificial de 26 a 30/08/2013

IMG_8758 tucunas isolados varos tons cores

capturado no rio Suiá-Miçu – Querência (MT) com uso de isca artificial de 26 a 30/08/2013

IMG_1444 tucunas isolados varos tons cores

capturado no rio Paranaíba afluente do rio Suiá-Miçu – Querência (MT) com uso de isca artificial de 26 a 30/08/2013

IMG_0786 tucunas isolados varos tons cores

capturado nos Lagos do rio Suiá-Micu – Querência (MT) com isca artificial de 26 a 30/08/ 2013

IMG_0788 tucunas isolados varos tons coresred

capturado no rio Suiá-Miçu – Querência (MT) com uso de isca artificial de 26 a 30/08/2013

_________________________________________________________________________________

Tamanho: porte médio de até 60 cm e 6 kg

Habitat: bacia amazônica

Dicas de pesca: encontrada do nas estruturas próximo as margens do rio, próximos as pedras nas corredeiras e dentro das lagoas

____________________________________________________________________________________________________________________

Nome comum: tucunaré-borboleta, tucunaré-botão

Nome cientifico: Cichla orinocensis

capturado no rio Negro em Barcelos (AM) com isca artificial em 18/02/2013

capturado no rio Negro em Barcelos (AM) com isca artificial em 22/02/2013

capturado no rio Negro em Barcelos (AM) com isca artificial em 19/02/2013

capturado no rio Preto da Eva (AM) com isca artificial em 21/10/2008

___________________________________________________________________________

Dados biológicos: vivem em cardumes na caça e em casais na reprodução – desova parcelada com pico na cheia – faz ninho em pedras e paus – com cuidado parantal

Tamanho: porte grande de até 80 cm e 7 kg

Habitat: bacia amazônica – nos rios Negro, Orinoco e seus tributários

Dicas de pesca: encontrada na pesca do tucunaré-açu

 

Nome comum: tucunaré-azul, listrado, azulão

Nome cientifico: Cichla piquiti

capturado no Lago da Serra da Mesa em Niquelândia (GO) com isca artificial em 16/09/2006

capturado no Lago da Serra da Mesa em Niquelândia (GO) com isca artificial em 28/08/2007

capturado no Lago da Serra da Mesa em Niquelândia (GO) com isca artificial em 29/08/2007

capturado no rio Grande – represa de Furnas em Areado com isca artificial em 30/04/2011

capturado no rio Grande – represa de Furnas em Areado com isca artificial em 30/04/2011

capturado no rio Paranaíba – represa São Simão e Chaveslândia (MG) em 26/09/2012

capturado no rio Grande – represa Volta Grande em Planura (MG) com isca artificial em 28/04/2012

capturado no rio Grande – represa Volta Grande em Planura (MG) com isca artificial em 28/04/2012

capturada no rio Paraná em Pauliceia (SP) nos lagos com isca artificial  em 19/07/2010

capturado no rio Paraná em Panorama (SP) com isca artificial nos lagos em 23/04/2005

capturado no rio Paraná em Panorama (SP) nos lagos com isca artificial em 18/02/007

capturado no rio Paraná em Campinal (SP) com isca artificial em 03/02/2008

____________________________________________________________________________________________________

Dados biológicos: ovos em galhos submersos

Tamanho: porte grande de até 80 cm e 6 kg

Habitat: bacias dos rios Tocantins-Araguaia e difundida pelo país nas bacias do rio Paraná, Paraguai, Uruguai e São Francisco

Status de conservação: não ameaçado, mas com indício de sobrepesca

Dicas de pesca: pescar durante todo o ano, em toda a área de ocorrência, preferencialmente durante o período seco. Em ilhas de pedra, prolongamentos de pontas de terra e enseadas rasas com estruturas são os locais mais promissores. A parceria entre os pescadores, com um deles usando isca de superfície (para “levantar” os peixes) e o outro usando isca de meia-água, aumenta a produtividade da pesca. Em locais mais fundos, jigs variados são boas opções

 

Nome comum: tucunaré-açu, tucunaré-paca

Nome cientifico: Cichla temensis

capturado rio Negro em Barcelos AM) com isca artificial em 22/02/2013

capturado rio Negro em Barcelos AM) com isca artificial em 22/02/2013

capturado rio Negro em Barcelos AM) com isca artificial em 21/02/2013

capturado rio Negro em Barcelos AM) com isca artificial em 18/02/2013

capturado nos Lagos de Careiro/Castanho (AM) com isca artificial em 31/10/2008

capturado nos Lagos de Careiro/Castanho (AM) com isca artificial em 29/10/2008

capturado nos Lagos de Careiro/Castanho (AM) com isca artificial em 26/09/2011

capturado nos Lagos de Careiro/Castanho (AM) com isca artificial em 26/09/2011

capturado nos Lagos de Careiro/Castanho (AM) com isca artificial em 28/09/2011

capturado nos Lagos de Careiro/Castanho (AM) com isca artificial em 23/09/2011

capturado no rio Preto da Eva (AM) com isca artificial em 20/10/2008

capturado no rio Preto da Eva (AM) com isca artificial em 23/10/2008

capturado no rio Tupana em Careiro(AM) com isca artificial em 28/11/2011

capturado no rio Tupana em Careiro (AM) com isca artificial em 27/11/2011

Dimorfismo sexual: olhos de íris cor vermelha e manchas escuras no opérculo. Fora do período de reprodução ou jovens mudam o padrão de coloração – com pintas brancas, dispostas em linhas paralelas, chamados de paca

Tamanho: porte grande de até 1 metro e  12 kg

Habitat: bacia amazônica em rios de água preta e clara (limpa) e águas brancas

Status de conservação: diminuição no porte devido à sobrepesca

Importância: pesca comercial e amadora e diversidade de espécie

Dicas de pesca: pescar no período seco, durante o dia, nos rios de água preta da bacia do rio Negro. Os igarapés e as bocas de lagoas costumam render os maiores exemplares de açus. Em épocas de águas muito baixas, procure as lagoas perenes e faça arremessos com grandes iscas de superfície em direção ao meio do lago, é onde os grandes casais costumam ficar. Caso o peixe se embrenhe na vegetação, tenha calma; destrave a carretilha ou molinete, e peça para o guia descer da embarcação e trazê-lo com calma
Nome comum: apairai, acará-açu, oscar

Nome cientifico: Astronotus ocellatus e A. crassipinnis

capturada no rio Guaporé em Cabixi (RO) em um lago com uso de isca artificial em 09/10/2012

capturado no Lagos de Careiro/Castanho (AM) com uso de isca artificial em 29/09/2011

capturada na represa Capivara em Gardênia (SP) com isca artificial em 08/09/2007

______________________________________________________________________________________________________________________

Dados biológicos/reprodutivos: não migratória – fecundação externa – desova na cheia – com cuidado parental

Dimorfismo sexual: macho coloração mais forte que a fêmea na época da reprodução

Hábito alimentar: onívoro e diurno (insetos, peixes pequenos e detritos do fundo dos rios)

Tamanho: porte médio de até 40 cm e 1,5 kg

Habitat: bacias amazônica, do Paraná, do Paraguai e do Tocantins-Araguaia

Status de conservação: não ameaçado

Importância: pesca esportiva e aquarismo e diversidade de espécie

Dicas de pesca: pescar o ano todo, em remansos e lagoas, sempre perto de galhos e estruturas com vegetação submersa. Não é necessário mais do que uma vara lisa com linha fina, anzol pequeno, chumbadinha e isca de minhoca para fazer uma pescaria de carás. Você pode jogar alguns punhados de terra para turvar a água, o que funciona como ceva e atrai os peixes. Os apaiaris se destacam por atacarem também iscas artificiais, principalmente as de meia-água.

 

Nome comum: porquinho, cará, acará, rói-rói, acara-tinga, tilápia-do-rio

Nome cientifico: Geophagus proximus, G. cf. altifrons

capturado no rio Juruena na pesca de isca com uso de pedaço de minhoca em 03/11/2012

encontrado no rio Paraná e Porto Camargo (Icaraíma, PR) junto com os lambaris usados para isca em 25/07/2011 

__________________________________________________________________________________________________________________

Dados biológicos/reprodutivo: não migratório – fecundação externa – desova parcelada com incubação na dentro da boca – cuidado parental.

Dimorfismo sexual: com machos maiores e mais coloridos

Hábito alimentar: onívoro

Tamanho: porte médio de até 30 cm

Habitat: nativo da bacia amazônica e amplamente distribuído na bacia do rio Paraná

Status de conservação: não ameaçado

Importância: diversidade de espécie e pesca de consumo e aquariofilia

Dicas de pesca: pescar durante o dia e a noite em margem de rios e lagos, basta uma varinha de bambu, linha fina, anzol pequeno e uma latinha com minhoca, desembarcada em margens ricas em vegetação

 

Espécie: cará, acará, carazinho – ainda não idendificado

encontrado no Lago Castanho em Careiro (AM) com ribeirinho para uso de isca em 20/09/2011

IMG_(170)rec

encontrado no rio Preto da Eva (AM) em 21/10/2008

___________________________________________________________________________________________________

Dados biológicos:

Hábito alimentar:

Tamanho: pequeno porte de até 20 cm

Habitat: bacia amazônica

Status de conservação:

Importância: base de cadeia alimentar dos peixes piscívoros

 

Nome comum: tilápia-rendali

Nome cientifico: Oreochromis niloticus

capturado na represa Capivara (rio Paranapanema) em Gardênia (SP) em 21/12/2012

capturada na represa de Furnas (rio Grande) em Areado (MG) em 26/04/2009

_______________________________________________________________________

Dados biológicos: não migratório -fecundação externa – faz ninho – desova parcelada – cuidam da prole

Hábito alimentar: onívoro e filtradores (nsetos, microcrustáceos, sementes, frutos, raízes, algas, plâncton e pequenos peixes)

Tamanho: porte grande de até 1,5 kg

Habitat: origem africana e distribuídas em todas bacias hidrográficas brasileiras

Status de conservação: espécie exótica já estabelecida

Importância: pesca em geral, piscicultura e ornamental

Dicas de pesca: pescar ano todo, em todos os locais de ocorrência, preferencialmente durante o dia. São mais facilmente capturadas com iscas naturais como massas, minhocas e larvas diversas. Dentre as espécies de tilápia, essa é a mais agressiva, e ataca iscas artificiais, principalmente durante a primavera e o verão. Spinners, plugs com o formato de insetos, iscas de fly e as chamadas “varejeiras” ou spin-glo’s estão entre as mais eficientes

 

Nome comum: sauá ou pataca

Nome cientifico: Tetragonopterus argenteus

capturado no rio Cuiabá em Barão de Melgaço (MT)  com uso de massinha e ceva em 19/10/2012

__________________________________________________________________________________________________

Nome comum: jacundá, joana, bocarra, sabonete, peixe-sabão, inhacundá

Nome cientifico: Crenicichla spp. , C. lugubris

capturado no rio Guaporé em Cabixi (RO) com isca artificial em 12/10/2012

capturado no rio Guaporé em Cabixi (RO) com isca artificial em 08/10/2012

capturado no rio Tupana em Careiro/Castanho (AM) com isca artificial em 28/11/2011

capturado no rio Negro região de Barcelos (AM) com isca artificial em 21/02/2013

capturado no rio Tupana em Careiro/Castanho (AM) com isca artificial em 27/11/2011

capturado no rio Negro região de Barcelos (AM) com isca artificial em 20/02/2013

capturado no rio Negro região de Barcelos (AM) com isca artificial em 20/02/2013

capturado no rio Tupana em Careiro/Castanho (AM) com isca artificial em 28/11/2011

capturado no Lago Serra da Mesa em Niquelândia (GO) com isca artificial em 28/08/2007

capturado no Lago Serra da Mesa em Niquelândia (GO – isca artificial em 17/09/2006

___________________________________________________________________________________________________

Dados biológicos: não migratória – fecundação externa – reproduz inicio da cheia – faz ninho e cuidam da prole

Hábito alimentar: carnívoro (os adultos consomem peixes e insetos, e os jovens também se alimentam de moluscos e crustáceos)

Tamanho: porte médio de até 30 cm e 1,5 kg

Habitat: bacia amazônica e dos rios Tocantins-Araguaia, Paraná, Paraguai, Uruguai, São Francisco e bacias costeiras

Status de conservação: não ameaçado

Importância: diversidade de espécie e aquarismo

Dicas de pesca: pescar o ano todo, durante o dia e a noite em locais com estruturas para a proteção. Extremamente agressivo, o jacundá ataca muito bem iscas artificiais dos mais variados tipos, desde spinners até metal jigs, sem esquecer das iscas de barbela, com nítida preferência por modelos coloridos e trabalhos lentos.

Sobre isabelpellizzer

Sou do interior do estado de São Paulo, Paraguaçu Paulista, casada com Sergio Pellizzer há 31 anos, mãe de dois filhos, Marcelo (30 anos) e Caio (27 anos). Formação: Engenheira Agrônoma e Técnica em Agrimensura. Paixão: Pescadora Amadora Esportiva desde 1997 que gosta de compartilhar suas experiências na pesca. Colaborei com matérias de pesca por 8 anos seguidos com a revista Pesca Esportiva e, no momento, colaboro com a revista Pesca e Cia. Amante da Natureza com especial admiração pelas aves e plantas. Quando as encontro nas pescarias, faço os registros e identificações, igualmente faço aos peixes. Atualizado: 21/04/2016
Comente com o facebook (Precisa estar logado)
Os comentarios aqui expressos sao de responsabilidade de seus autores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Scroll To Top

XML Sitemap