Compartilhe

FAMÍLIA CYNODONTIDAE – representada pelas cachorras

CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS: Apresentam corpo de  formato alongado, caninos bem desenvolvidos e nadadeiras peitorais expandidas. Corpo  recoberto por bastante muco e pouca resistência fora d’água.

[box type=”shadow” ]Nome comum: cachorra-larga, pirandirá, peixe-cachorro, olho-de-boi, payara

Nome cientifico: Hydrolycus spp [/box]

capturada no rio Kuluene em Canarana (MT) na pesca de arremesso de tuvira em 16/07/2009
capturada no rio Guaporé em Cabixi (RO) com  arremesso de tuvira pequena na corredeira em 07/10/2011
capturada no rio Juruena em Nova Bandeirantes (MT) com de pedaço de peixe em 04/11/2012
capturada da rio Verde (MT) na pesca de espera com uso de pedaço de peixe em 05/01/2012
capturada da rio Verde (MT) na pesca de espera com uso de pedaço de peixe em 05/01/2012

___________________________________________________________________________________________________
Dados biológicos: desova inicio da cheia – sem cuidado parental

Hábito alimentar: piscívoro (caça no fundo e na meia-água peixes de spp variadas)

Tamanho: porte grande de até 1,2 m e 20 kg

Habitat: bacias amazônicas e do rio Tocantins-Araguaia

Status de conservação: não ameaçado

Importância: diversidade de espécie e na pesca amadora e aquariofilia

[box type=”info” ]Dicas de pesca: Pescar o ano todo, preferencialmente durante o dia. Habita corredeiras, pedrais e bocas de ressacas e lagoas. Iscas de peixes, sejam eles inteiros ou em pedaços, produzirão resultado quase certo na pesca de cachorras-largas. Entre as artificiais, comece com plugs e shads grandes trabalhados na superfície e meia-água. Na ausência de ações, trabalhe mais fundo, até detectar a faixa de profundidade em que os peixes estão ativos. Como escapam facilmente, o recolhimento após a fisgada deve ser rápido e feito sempre com a vara alta.[/box]

[box type=”shadow” ]Nome comum: cachorra-facão, ripa, saranha, dourada-cadela, peixe-cachorro

Nome cientifico: Rhaphiodon vulpinus [/box]

capturada no rio Parana em Porto Camargo (Icaraíma, PR) no corrico com isca artificial em 27/06/2011
capturada no rio Parana em Porto Camargo (Icaraíma, PR) no corrico com isca artificial em 27/06/2011
capturada no  rio São Lourenço (MT) em Pantanal Norte com uso de tuvira em 24/04/2007
capturada em rio Cuiabá em Barão de Melgaço (MT) com arremesso de tuvira na corredeira em 15/10/2012
capturada nos Lagos de Careiro/Castanho (AM) no corrico com isca artificial em 23/09/2011

________________________________________________________________________________
Dados biológicos: desova total inicia na cheia – sem cuidado parental
Hábito alimentar: piscívoro (caça na superfície e meia-água peixes variados)

Tamanho: porte grande de até 80 cm e 3 kg

Habitat: bacia amazônica e dos rios Tocantins-Araguaia, do Paraná, Paraguai e Uruguai

Status de conservação: não ameaçada

Importância: diversidade de espécie, na pesca amadora

[box type=”info” ]Dicas de pesca: Pescar na seca, preferencialmente durante o dia. Habita remansos e bocas de rios e corixos. Os plugs de barbela de meia-água são, certamente, o caminho mais curto para ter na linha uma saltadora cachorra. Muitas vezes, ela ataca repetidas vezes até ser fisgada, situação em que trabalhos lentos e com breves pausas são os mais indicados [/box]

Leave a Comment